sexta-feira, 21 de agosto de 2015

Grande Lançamento: GODZILLA ORIGENS

Sabe quando alguém lança um produto que você queria faz tempo? Pois é...

A empresa independente Obras Primas lançou há pouco tempo um box sensacional: GODZILLA ORIGENS! É até covardia para o Onari Blog, pois o Rei dos Monstros já rendeu vários posts interessantes aqui (para mais detalhes, clique aqui e aqui).

A caixinha (em Digipak) vem com três filmes que até agora permaneciam inéditos, apesar de hoje serem considerados verdadeiros clássicos da ficção científica. Mais do que isso, foram os filmes que deram origem à franquia Godzilla, e, consequentemente, a todo o gênero kaiju (monstros gigantes): GODZILLA (1954), GODZILLA - O REI DOS MONSTROS! (Godzilla, King of the Monsters, 1956) e O MONSTRO DO MAR (The Beast From 20.000 Fathoms, 1953).

 

O MONSTRO DO MAR (1953), apesar de não trazer Godzilla, foi o filme que inspirou a produtora japonesa Toho a criar o longa do Rei dos Monstros. O longa introduz a temática que gerou Godzilla: um gigantesco monstro pré-histórico (animado pelo lendário Ray Harryhausen, mestre da técnica stop motion) é despertado por bombas nucleares e ataca uma cidade. A cena mais emblemática é a do ataque a um farol à noite, em que apenas a silhueta é visualizada! O longa de baixo orçamento fez tanto sucesso que levou à criação do Rei dos Monstros. Infelizmente, com a popularização de Godzilla, acabou esquecido.


  

O GODZILLA original (1954) dispensa apresentações. O filme que apresentou o rei dos monstros pela primeira vez é um clássico absoluto, utilizando o estilo característico de seu gênero: um ator dentro do traje do monstro, destruindo tudo à sua frente! Com forte influência da tragédia de Hiroshima e Nagasaki, o longa criou todo um gênero e uma duradoura franquia. 


 
GODZILLA - O REI DOS MONSTROS (1956) foi lançado nos E.U.A., editando o original de 1954 e colocando como protagonista o ator Raymond Burr, como um jornalista americano que narra a destruição que o monstro causa em Tóquio. Apesar de modificar a mensagem original, foi este filme que popularizou o Rei dos Monstros no Ocidente.


Agora vamos falar do box propriamente dito. A luva externa é belíssima, com uma arte vintage muito interessante.
Considerando a idade dos filmes (e o nicho limitado que eles provavelmente alcançarão), o conteúdo e a arte do box são muito bons: dois DVDs (um com os dois filmes de Godzilla; o outro com O Monstro do Mar e extras), dois postcards e embalagem interna com efeito pop up!

 Efeito comum em livros infantis, o pop up é acionado na abertura da embalagem interna, revelando a cabeça de Godzilla! É similar a um box americano, embora com arte ligeiramente diferente.

O efeito também aparece no verso da embalagem, com outra arte. A atenção aos detalhes merece aplausos, atestando o respeito da empresa para com os consumidores, dando ao produto um status de item de colecionador, não mera curiosidade de cinema trash!

 Os cards também são muito interessantes. Um deles revela o produtor Tomoyuki Tanaka com atores fantasiados de Godzilla e o outro traz uma cena de O Monstro do Mar.

Para finalizar, o que já estava bom fica ainda melhor, pois os extras também são dignos de nota: 
- entrevista com Haruo Nakajima (o próprio Godzilla!);
- entrevista com Tadao Sato (crítico de cinema japonês);
- entrevista com Ray Harryhausen (o lendário técnico de efeitos visuais em stop motion);
- featurette de efeitos visuais;
- mini-documentário "A Sétima Arte Após a Bomba";
- mini-documentário "O Dragão Terrível";
- trailer de Godzilla - O Rei dos Monstros;
- trailer de O Monstro do Mar.

Recomendadíssimo!

Ufa! Por hoje é só! Até a próxima!

sábado, 15 de agosto de 2015

LIVROS DE COLORIR... PARA NERDS!!!





O maior fenômeno editorial de 2015 não foi Harry Potter, Dan Brown ou algum livro de auto-ajuda... Quem frequenta livrarias ou está antenado com o mundo literário sabe que a atual febre nas livrarias é a dos livros de colorir para adultos! Uma ideia simples que virou um fenômeno, o segmento surgiu com o livro JARDIM SECRETO, da ilustradora Johanna Basford,  um livro com desenhos cheios de detalhes para colorir. O sucesso foi tão impressionante que a autora lançou em seguida outro livro, FLORESTA ENCANTADA, também com êxito. Os dois livros tornaram-se o padrão a ser seguido, originando centenas de versões semelhantes. Claro que o fenômeno originou outro, o das vendas de lápis de cor (que, aliás, tiveram seus preços inflacionados devido à demanda).

 Até a minha irmã aderiu... Olha como ela pinta bem!

Agora, todo mundo quer aproveitar a onda e lançar a sua versão de livro de colorir para adulto. Vamos falar do universo que conhecemos bem, o mundo nerd e a cultura pop! Claro que os nerds também têm opções! Vamos ver as principais delas...

Para atender rapidamente a demanda, as editoras tiveram que improvisar. Elementos de cultura pop como personagens de animes, mangás, cinema e quadrinhos não se encaixam no padrão dos livros de Basford (e, consequentemente, de todos os seus imitadores). Assim, a maioria dos livros de colorir baseados em cultura pop simplesmente apresentam diversos desenhos de personagens e cenas de quadrinhos em preto e branco, como o ARTE TERAPIA ANTIESTRESSE MANGÁ, disponível nas bancas de revistas.



Outros ainda adotam uma pegada mais infantil, com desenhos mais simples de personagens fofinhos, direcionados a um público mais jovem. A Blizzard, empresa de games responsável pela série de games on line WORLD OF WARCRAFT, distribuiu um livrinho de colorir para seus funcionários (embora direcionado para seus filhos).



A MARVEL também lançou um livro mais infantil, mas já prepara livros com temáticas mais adultas, como o livro de colorir do DEADPOOL, que deverá ser lançado na esteira do filme no ano que vem.


 

Outro segmento nerd que vem sendo explorado é o do zumbis. Afinal, se eles estão na crista da onda em todas as mídias (quadrinhos, filmes, séries de TV, livros e até brinquedos), por que não nos livros de colorir?


Outro sucesso da cultura pop que vai ganhar a sua versão para colorir é nada mais, nada menos que GAME OF THRONES! Acho melhor reservar o triplo de lápis vermelhos para esse livro, afinal o que não falta nessa série é sangue, não é?

 

Para mim, o melhor exemplo é o da Editora Agir, que lançou O INCRÍVEL LIVRO DE SUPER-HERÓIS PARA COLORIR. Além de não seguir o padrão de 90% dos livros atuais (ou seja, copiar o estilo de Johanna Basford), também não se restringe a colocar desenhos simples em preto e branco. Todas as páginas são capas de revistas em quadrinhos antigas, dando um ar vintage à obra.

Confesso que demorei a aderir a essa moda (até porque nunca gostei muito de colorir, nem quando era criança), mas essa proposta me atraiu, e resolvi tentar...

O resultado até que não ficou ruim, mas acho melhor comprar lápis de cor melhores...

Por hoje é só! Até a próxima!

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

"LUKE, EU SOU SEU PAI !" - Homenagem aos Pais


Embora um pouco atrasado, eu precisava fazer um post em homenagem ao dia dos pais... Demorei a encontrar um assunto adequado... Qual o melhor post sobre paternidade vinculado ao universo nerd? Aí eu vi que a resposta era óbvia! A revelação de que Darth Vader é o pai de Luke Skywalker foi um choque quando O IMPÉRIO CONTRA ATACA estreou nos cinemas, em 1980. Hoje, é um spoiler tão manjado que nem é mais considerado spoiler (ainda mais depois da nova trilogia). 
Hoje vou postar um vídeo muito interessante, em que várias crianças são filmadas no exato instante em que assistem à revelação de Darth Vader, com reações de surpresa e incredulidade. Vale a pena conferir:

video
Senti uma ponta de inveja dessas crianças, pois quando assisti a O IMPÉRIO CONTRA ATACA pela primeira vez foi na TV, exibido pela Rede Globo. Foi o assunto do recreio na escola no dia seguinte, até porque O RETORNO DE JEDI estava estreando nos cinemas e já colecionávamos o álbum de figurinhas do filme. O problema é que o álbum já entregava que Darth Vader era o pai de Luke! Portanto, quando eu assisti ao filme eu já sabia o final... Queria ter sentido a mesma coisa que as crianças do vídeo...

Ainda sobre o assunto, duas das sugestões de presentes para o dia dos pais nas livrarias eram os livros de Jeffrey Brown, A PRINCESINHA DE VADER  e DARTH VADER E FILHO, transportando para o universo infantil a relação de Darth Vader com Luke e Leia. É divertidíssimo ver as ilustrações mostrando papai Vader tentando conciliar as responsabilidades de pai com a administração do Império... Pena que eu não ganhei de presente! Snif!

Nos States, até miniaturas baseadas nos livros foram lançadas. Pena que provavelmente não vão chegar até aqui...
Por hoje é só! Embora atrasado, FELIZ DIA DOS PAIS!

sexta-feira, 31 de julho de 2015

KAIJU Action Figures: Colecionando Monstros Gigantes... em Miniatura!



Hoje o assunto é coleção de action figures (ou bonequinhos, para todo mundo que não é nerd ou não entende o mundo nerd - caso da maioria das nossas esposas ou namoradas)...
Vamos falar de uma coleção um pouco diferente. Normalmente, o foco das coleções é o universo dos super-heróis, ou dos personagens de filmes, seriados e games. Eu também coleciono tudo isso, mas se tem uma coisa de que eu gosto desde criança é MONSTRO! 
E um dos pilares da cultura pop japonesa é o gênero Tokusatsu, aquele em que heróis como Ultraman, Ultraseven, Spectreman e outros lutavam com monstros gigantescos chamados, em japonês, de KAIJU. O termo só ficou mais conhecido no ocidente graças ao diretor Guillermo Del Toro, que lançou, em 2013, o épico CÍRCULO DE FOGO (Pacific Rim), no qual gigantescos kaijus lutavam com robôs gigantes (os Jaegers), em uma homenagem explícita ao gênero japonês.

Mas os monstros gigantes surgiram, como um autêntico gênero, em 1954, quando a produtora Toho lançou GODZILLA, o primeiro filme japonês do rei dos monstros!

Claro que com o sucesso, Godzilla virou uma verdadeira franquia, com 28 filmes (para saber mais, clique aqui) e uma infinidade de produtos, incluindo, é claro, bonecos! A empresa japonesa BANDAI se destacou no segmento, lançando uma imensa coleção de figuras, normalmente em vinil...



...não apenas relacionada ao universo de Godzilla...

...mas também de outras produtoras, como a Daei, responsável pela tartaruga gigante GAMERA, outro ícone que tem uma imensa coleção só dedicada a ela (veja abaixo):



Com o passar dos anos, as coleções foram ficando cada vez mais sofisticadas. A própria Bandai, tradicional no mercado de figuras de vinil, lançou a linha S.H.MONSTERARTS, com figuras em PVC (plástico resistente), com o mesmo conceito da linha S.H.FIGURARTS (esta baseada em heróis e vilões de seriados, filmes e séries, como Dragonball, Power Rangers, Kamen Rider e Ultraman). Altamente detalhadas, as figuras, ao contrário das de vinil, possuem muitas articulações, peças intercambiáveis e acessórios como bases e peças emulando raios e outros efeitos característicos de cada personagem... Enfim, um arraso!
Claro que um dos primeiros lançamentos foi o rei: Godzilla, com o visual de "Godzilla Vs. Spacegodzilla", de 1994, com direito a muitas articulações, base e peças imitando o bafo atômico!



Obviamente, com tantos filmes, e consequentemente, versões existentes, a Bandai lançou diversas figuras diferentes de Godzilla, incluindo o Spacegodzilla, com seu incrível visual baseado em cristais espaciais...


E, como não poderia deixar de ser, para completar os "Big Five" (como são considerados os cinco maiores monstros do universo de Godzilla) a coleção também incluiu:

...MOTHRA, a mariposa gigante...






... RODAN, o pterodáctilo espacial...


...MECHAGODZILLA (baseado em Kiryu, da versão
 do filme de 2002 - por sinal, o meu favorito)...



.. e, finalmente, GUIDORAH, o dragão de três cabeças que 
é, talvez, o maior antagonista de Godzilla em toda a saga!

Mas praticamente todos os monstros que já passaram pelos filmes de Godzilla já tiveram sua figura lançada (ou terão)... 

Biollante, por exemplo...

 Gigan...


...e Destoroyah...


E muitos outros! Entretanto, a linha não se limita ao Oriente. Monstros de megaproduções americanas, como Alien e Predador também foram lançadas.

Um dos destaques foi King Kong, baseado no filme de Peter Jackson, de 2003 (que rendeu uma figura sensacional: além da escultura primorosa, vem com base, tronco, duas cabeças extras  e 9 mãos intercambiáveis - incluindo uma segurando Ann Darrow, a mocinha do filme e grande amor do gorilão!)


Até a versão americana de Godzilla, de 2014, ganhou não apenas uma versão da BANDAI da linha S.H. Monsterarts, mas também da NECA, sem acessórios, mas com boa qualidade (e preço bem mais acessível)... A versão de 1994 também ganhou uma versão da NECA.


Por falar em NECA, a empresa está caprichando com a franquia Pacific Rim, lançando desde os Kaijus "principais", como Knifehead, Leatherback e Otachi, mas também outros que quase nem aparecem no filme, como Scunner e Trespasser.


Esses foram só alguns, porque a variedade de bonecos de Kaijus é tão grande que tem louco que só coleciona esses monstrinhos... Existem coleções particulares gigantescas...

Tem gente precisando arrumar namorada...



Já estou terminando o post, que já está bem grande... Deixa eu só apresentar a minha última aquisição (e também um dos últimos lançamentos da S.H.Monsterarts): a querida tartaruga GAMERA, que, embora não seja tão popular como Godzilla, é outro importante cânone do gênero. A figura da Bandai traz os tradicionais detalhes e articulações já esperados, com as tradicionais presas, as placas ventrais que se abrem revelando a bola de energia amarela, base e peças intercambiáveis para configuração de voo e o bafo de fogo! Simplesmente sensacional! Dá até pra fazer um duelo épico entre os dois ícones, coisa que nunca ocorreu, já que pertencem a produtoras diferentes...



Agora, pra encerrar mesmo, uma última figura já conhecida pra quem acessa o blog há algum tempo... O meu próprio KAIJU! Embora Kaijus robóticos não sejam a regra, customizei um monstro metálico a partir de bonecos do Ben 10 e do Monge de Ferro (para mais detalhes, clique aqui), que chamei de TENTÁCULO DE AÇO. Para vocês verem como eu gosto do gênero... Até que ficou bom, não é?

Tentáculo de Aço, o meu Kaiju exclusivo...


Por hoje é só! Até a próxima!


domingo, 12 de julho de 2015

A Saga AS CRÔNICAS DOS MORTOS: O Verdadeiro "The Walking Dead" Brasileiro!


Nem é preciso ser nerd hoje para saber que os zumbis comedores de carne humana são a bola da vez. Praticamente todas as mídias têm a sua versão, incluindo games (Resident Evil, Plants vs.Zombies), quadrinhos (Zumbis Marvel; The Walking Dead; I, Zombie), cinema (Eu Sou a Lenda, Guerra Mundial Z, Meu Namorado É um Zumbi, Resident Evil), TV (The Walking Dead; I, Zombie) e até brinquedos!
Aparentemente, o autor brasileiro Rodrigo de Oliveira era mais um querendo aproveitar a onda, quando lançou, de maneira modesta, o livro O Vale dos Mortos, em 2012. 
Entretanto, a obra provou ter alma própria, destacando-se como um dos melhores (se não o melhor) livros sobre apocalipse zumbi da atualidade. Rodrigo de Oliveira já é de casa; afinal já deu uma entrevista para o ONARI BLOG, em 2013 (para acessar a entrevista, clique aqui). Segundo o autor, a ambiciosa saga tem previsão de um total de 5 livros, sendo que três já foram publicados (o quarto tem previsão de lançamento para o segundo semestre de 2015).
Hoje vamos falar um pouco sobre a saga até agora, e algumas curiosidades sobre os livros.

Rodrigo de Oliveira (de óculos) e eu, em 2013, quando concedeu uma entrevista para o ONARI BLOG.


O VALE DOS MORTOS
O meu favorito da saga, conta o início do Apocalipse Zumbi, apresentando os protagonistas, Ivan e Estela, e como eles organizaram uma comunidade no interior de São Paulo. Como em todas as histórias de zumbi, o perigo não se restringe aos monstros canibais...


A BATALHA DOS MORTOS
Com a comunidade de Ivan e Estela já estabelecida, o perigo vem de uma cidade vizinha, onde um perigoso grupo de criminosos também se organizou em um presídio. A guerra entre os dois grupos é inevitável.


ELEVADOR 16

Para aplacar a sede dos fãs, que mal podiam esperar por mais um livro da saga, Rodrigo de Oliveira lançou, no hiato entre o segundo e o terceiro livro, o e-book ELEVADOR 16, um conto ambientado na cidade de São Paulo durante o início do Apocalipse Zumbi, apresentando uma personagem que participa do terceiro livro.


A SENHORA DOS MORTOS
No terceiro livro da saga, a ameaça vem na forma de uma entidade sobrenatural, que além de possuir poderes paranormais, tem o poder de controlar os zumbis! O final é instigante, deixando o leitor salivando pelo próximo livro.


 CURIOSIDADES

- O primeiro livro da saga, O VALE DOS MORTOS, foi lançado discretamente pela Editora Baraúna em 2012. Atualmente, a saga é publicada pela Faro Editorial, que relançou o primeiro livro com outra capa. A primeira edição, da Baraúna, hoje já esgotada, é raríssima (nem mesmo o autor tem um exemplar!)...

 - Sabendo da base nerd de fãs, a cada lançamento dos livros, Oliveira disponibiliza algum brinde para os primeiros compradores. O brinde do segundo livro é um lindo marcador de página em couro, imitando pele humana! Já no terceiro, quem comprar um exemplar ganha a versão escrita de ELEVADOR 16.

Para mim, a saga tem um apelo pessoal. Como Rodrigo de Oliveira é morador de São José dos Campos-SP, ambienta a história na cidade. Como eu também moro em São José, foi uma grata surpresa encontrar nos livros (especialmente no primeiro) lugares muito familiares para mim. Alguns deles:
- Os protagonistas inicialmente procuram refúgio no Shopping Colinas, que eu frequento constantemente, já que tenho uma loja lá.
- A comunidade se instala no Condomínio Jardim das Colinas, onde eu moro!
- Para tomar posse do condomínio, os protagonistas organizam uma missão em um quartel para adquirir armamentos. O alvo é a cidade vizinha de Caçapava, onde eu trabalho (inclusive, como veterinário, já fiz alguns serviços no quartel descrito no livro).
- O quarto livro, A ILHA DOS MORTOS, se passará em Ilhabela, litoral de São Paulo, onde eu passei uma das viagens mais conturbadas da minha vida - embora tenha sido divertido...

Já deu pra perceber que eu sou fã da saga, né?

Em meio aos inúmeros imitadores do megassucesso The Walking Dead, AS CRÔNICAS DOS MORTOS se destaca como uma saga que, ao mesmo tempo em que presta homenagem a todas as obras do gênero (de George Romero a Robert Kirkman), também leva a ficção científica brasileira a outro patamar, com personagens marcantes, ação vertiginosa e rigorosa pesquisa histórica, geográfica e científica, digna de uma produção hollywoodiana!

 Por hoje é só! Até a próxima!