sábado, 9 de setembro de 2017

As Mais Iradas Action Figures de... ANÕES!


Hoje o assunto é um pouco diferente. Quem acompanha o ONARI BLOG sabe que eu adoro action figures dos mais variados gêneros e temas, como filmes, séries, games, quadrinhos e até personalidades reais. Entretanto, se tem um tipo de personagem que eu gosto (embora não tenha muitos na minha coleção) é do anão guerreiro! A imagem que abre este post é uma foto de uma figura que eu esculpi em massa de modelar há uns 20 anos (e que hoje está na estante do quarto do meu filho, devidamente preservado em uma caixinha de vidro), baseado em um desenho que eu fiz e que deu origem a uma HQ produzida artesanalmente por mim logo depois, que pode até render um post futuro.


Essa paixão por esse tipo de personagem vem desde os anos 80, em que eu jogava obsessivamente um game chamado Golden Axe, protagonizado por um trio de guerreiros composto por uma mulher, um bárbaro e um anão (chamado Gilius Thunderhead), que eu sempre escolhia para jogar. Que eu saiba, esses personagens não ganharam action figures oficiais, apenas versões customizadas, como as da imagem acima.


Claro que nos anos 80 eu não sabia que qualquer anão guerreiro deveria pagar tributo a Gimli, de O Senhor dos Anéis, que deve ter inspirado todo personagem semelhante que veio depois. O anão do universo de Tolkien só ficou conhecido após a trilogia de filmes, que inspiraram várias action figures, sendo as lançadas pela Toy Biz as mais populares, como a da foto acima, que faz parte da minha coleção.
  

Quem é fanático pelo personagem e tem muita grana sobrando (faço parte do primeiro grupo mas infelizmente não do segundo) deveria ter uma edição limitada de uma estátua produzida pela Sideshow em parceria com a Weta que mostra Gimli saltando de uma pedra com um orc embaixo. Sensacional!

 
Outra estátua espetacular (e cara) é baseada na trilogia mais recente, de O Hobbit, que por sinal é repleta de anões! Esta figura retrata Dain Ironfoot, parente do anão Thorin, montado em seu javali de guerra... Como é duro ser pobre!


Embora mais modesta, a coleção de action figures baseada em World of Warcraft da DC Unlimited destaca-se pela qualidade e beleza das peças. Baseado em um personagem da HQ inspirada no game, Thargas Anvilmar é o único anão de destaque na história (aliado do protagonista, Lo´Gosh) e rendeu um boneco muito legal.


Entretanto, para mim, a melhor figura desta série é a de um personagem secundário, Magni Bronzebeard, o rei dos anões. Belíssima, surpreende pela riqueza de detalhes, desde a armadura, roupas,capa, cota de malha e as armas, dois imponentes martelos de guerra. Desde que vi fotos dela pela primeira vez, se tornou um de meus objetos de desejo. Quem sabe um dia ela não chega na minha estante?


 Por hoje é só! Até a próxima!

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Onari Blog Recomenda: RICK E MORTY


Desde que Bob Esponja se tornou um sucesso estrondoso, várias animações surgiram com a mesma proposta: visual supostamente infantil mas com apelo também para os adultos, normalmente associando personagens bizarros com situações ainda mais insanas. Neste gênero destacam-se Hora de Aventura, O Incrível Mundo de Gumball, Gravity Falls, Titio Avô, entre outras. 


Entretanto, ninguém supera RICK E MORTY, que é, atualmente, a animação mais popular da cultura pop. A série conta as aventuras de Rick, um cientista com visual claramente inspirado em Doc Brown (De Volta Para o Futuro) e seu neto Morty. As referências a De Volta Para o Futuro não são gratuitas, já que a animação foi baseada em um curta experimental extremamente tosco e ofensivo, lançado no festival Channel 101 de 2006, batizado de The Real Adventures of Doc e Mharti. O criador Justin Roiland sentiu, entretanto, que aquela ideia tinha potencial. Assim, em 2013, o canal Adult Swim passou a exibir a primeira temporada de RICK E MORTY, criada por Roiland (que faz as vozes dos dois protagonistas!) e Dan Harmon.


Rick é um cientista bêbado que vive babando e arrotando, mas tem um conhecimento científico aparentemente ilimitado sobre todos os aspectos da ciência. Na cronologia da série, ele acaba de voltar ao convívio com a família de sua filha, Beth, uma cirurgiã veterinária não muito satisfeita com seu casamento com Jerry, um típico pai perdedor. A filha mais velha do casal, Summer, é a típica adolescente ávida por popularidade e o caçula é Morty, o co-protagonista. Tímido, inseguro e apaixonado pela garota mais popular de sua sala, o adolescente de 14 anos é constantemente arrastado pelo avô nas mais loucas aventuras. E quando digo loucas, elas superam todos os limites (só para ilustrar, veja abaixo a cena pós-créditos de um dos episódios, mostrando a família com hamster que moram em bundas)! 


Como Rick tem uma arma que cria portais temporais e dimensionais, as aventuras misturam alienígenas, monstros, mutantes, robôs, viagens no tempo, dimensões paralelas e realidades alternativas nas situações mais insanas.


Como a maioria dos desenhos voltados para adultos,  Rick e Morty tem várias camadas. Por trás das histórias aparentemente simples e do humor grosseiro, o destaque da animação é o enfoque em assuntos sérios como alcoolismo, relações familiares, morte, sentido da vida, amor, sexo, entre outros. 
Claro que um dos responsáveis pelo sucesso é o fato da série apresentar várias referências à cultura pop, como Lovecraft, M.Night Shyamalan, A Origem, Viagem Fantástica, Alien, Jurassic Park, Metallica e muitos outros. Uma prova de sua veia pop é a participação hilária nos Simpsons! Confira abaixo:

video

Se você é nerd, curte animações bizarras e não se ofende com humor politicamente incorreto, recomendo Rick e Morty! As primeiras duas temporadas estão disponíveis na Netflix, e a terceira está para ser lançada (atualmente em exibição nos EUA).
Até a próxima!


sábado, 10 de junho de 2017

HEADSHOT (2016) - agora na NETFLIX!


Desde que estrelou os espetaculares Operação Invasão (The Raid, 2011) e Operação Invasão 2 (The Raid 2 - Berantal, 2014), o ator e coreógrafo Iko Uwais virou sinônimo de filmes de ação explosivos e arrasadores. Seu filme mais recente é HEADSHOT (2016), disponível atualmente na Netflix. 
Podemos resumir HEADSHOT como um "Identidade Bourne sem freios". Se no filme estrelado por Matt Damon tínhamos um ex-agente altamente treinado que acorda sem memória com um tiro nas costas (mas, felizmente, retendo as habilidades), em HEADSHOT o protagonista Iko Uwais é encontrado na praia com um tiro na cabeça e acorda sem memória no hospital sob os cuidados da doutora Ailin (Dhelsea Islan), que o batiza de Ishmael.


É claro que seu passado não tarda a alcançá-lo. Uma perigosa quadrilha de assassinos liderada pelo sádico Lee (Sunny Pang) começa a persegui-lo, o que acaba resultando no sequestro da doutora Ailin. Para salvá-la, Ishmael tem que enfrentar toda a gangue, confrontando seu próprio passado.

HEADSHOT promove o reencontro de Iwais com dois atores de Operação Invasão 2, Sunny Pang e Julie Estelle. Para quem não lembra, Pang e Estelle eram, respectivamente o homem com o taco e a garota com o martelo que enfrentam o protagonista em uma das melhores lutas do longa de 2014. Em HEADSHOT Pang é o adversário final e Estelle é uma ex-aliada que luta com Ishmael um pouco antes da luta final. 

A crítica elogiou HEADSHOT, embora o filme não tenha entusiasmado tanto quanto Operação Invasão 2. Afinal, vai ser difícil alguém superar a arrasadora luta de karambit do final, mas HEADSHOT não decepciona. As lutas são brutais e sangrentas e muito bem coreografadas. Não é uma obra-prima como a franquia Operação Invasão, mas ainda é muito bom.

Por hoje é só! Até a próxima!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

SPL 2 - A Time for Consequences (2015)




Quando ouvi falar de SPL 2 - A Time for Consequences, ainda em 2015, fiquei muito empolgado. Afinal, era a sequência de SPL (que foi lançado aqui como Comando Final), um dos maiores filmes de ação de todos os tempos, estrelado por Donnie Yen, Wu Jing e Sammo Hung, em 2005. Além disso, traria como protagonista ninguém menos do que Tony Jaa, ao lado de Wu Jing e Simon Yam (que, embora tenham participado do primeiro filme, voltam aqui em outros papéis). Apesar de ter sido lançado mundialmente em 2015, só agora foi lançado em DVD (lançado aqui com o título A Hora das Consequências!)...
O primeiro SPL tinha ritmo lento e arrastado, com poucas lutas (embora tenham sido as mais brutais dos últimos tempos). Felizmente, SPL 2 é bem mais empolgante, com ação do início ao fim (como não poderia deixar de ser em um filme de Tony Jaa).
Apesar de ser uma sequência oficial de SPL, SPL 2 não têm relação alguma com o filme anterior. Aparentemente, o título SPL serve apenas para estabelecer a marca como sinônimo de filme de ação e lutas de qualidade. Assim, Simon Yam interpreta outro personagem, o policial Kwok. Já Wu Jing é o co-protagonista, o policial infiltrado Kit (e, de quebra, sobrinho de Kwok).
Kwok infiltra Kit na gangue de Hung (Louis Koo), chefão de uma quadrilha especializada em tráfico de órgãos. Ironicamente, o próprio Hung precisa de um transplante de coração e sequestra o próprio irmão, único doador compatível. Em meio ao sequestro, Kit é preso e mandado para um presídio de segurança máxima na Tailândia e seu caminho cruza com Chatchai (Jaa), policial integrante da guarda do presídio (cujo companheiro e compadre é interpretado por Ken Lo, velho conhecido de quem curte os filmes de Jackie Chan - para quem não lembra, ele fez o adversário final no espetacular Drunken Master 2).


O filme acompanha a busca de Kwok para libertar o sobrinho Kit; os problemas de Chat com a filha que sofre de leucemia (cujo único doador compatível é Kit!!!) e a obsessão de Hung em conseguir um novo coração, nem que para isso tenha que matar seu próprio irmão!


A primeira luta entre Wu Jing e Tony Jaa era muito esperada (dada a qualidade marcial dos dois atores), e ela não decepciona, embora seja curta. A qualidade das demais lutas também é muito boa, condizente com o talento de Jing e Jaa.



A melhor luta, claro, é a do final, com Jaa e Jing se unindo contra Max Zhang, que interpreta o diretor do presídio e braço direito de Hung, um lutador preciso e quase invencível.



Embora o roteiro seja raso e com vários furos (além de apresentar várias sequências que não são bem exploradas ou que não dizem a que vieram, como vício em drogas de Kit e o encontro da menina com o lobo), SPL 2 não decepciona os fãs de Tony Jaa e Wu Jing!
Recomendadíssimo!

Por hoje é só! Até a próxima!

quinta-feira, 25 de maio de 2017

Um Vídeo Épico para comemorar o DIA DO ORGULHO NERD ou o DIA DA TOALHA

Hoje é 25 de maio, e não importa se é o DIA DO ORGULHO NERD (comemorado pela comunidade nerd mais mainstream, no dia em que Star Wars estreou, em 1977) ou o DIA DA TOALHA (considerado mais cool pelos nerds mais "veteranos", em homenagem ao universo criado pelo autor inglês Douglas Adams na saga O Guia do Mochileiro das Galáxias), hoje é dia de comemorar a cultura pop em geral!
Para isso, nada melhor do que assistir a um vídeo divertidíssimo, mostrando uma batalha com os maiores heróis de ação, aventura, ficção, fantasia do cinema (e até de algumas séries de TV).
Veja se você consegue identificar todos...

video

FELIZ DIA DO ORGULHO NERD (ou DIA DA TOALHA)!!!!!

quinta-feira, 13 de abril de 2017

LIVROS NERD COM ITENS COLECIONÁVEIS!


Se tem uma coisa que um nerd gosta é um livro com informações sobre o seu filme ou personagem favorito. Sem falar em memorabilia ou qualquer coisa colecionável, não é? Se juntarmos os dois, melhor ainda! Pois hoje eu vou falar sobre um tipo de livro que os gringos chamam de Vault, um livro com informações detalhadas sobre determinado filme, série ou personagem, mas que vem com itens removíveis e colecionáveis. Na figura acima temos vários exemplos, como SPIDERMAN VAULT (que vem com posteres, máscara, storyboards, sketches e muito mais), STAR WARS VAULT (cards, posteres, adesivos, 2 CDs de áudio, miniatura de nave, etc), BATMAN VAULT (máscara, posteres, gibi, etc) e TERMINATOR VAULT (com sketches, storyboards, desenhos conceituais, posteres e uma coleção de fotogramas em película do filme).

Outro livro do mesmo tipo é PACIFIC RIM: MAN, MACHINES AND MONSTERS. Com uma capa que emula o portão da Shatterdome, quartel-general da resistência humana no filme, o livro traz blueprints dos robôs, cartões de acesso de Raleigh e Mako, sketches, desenhos conceituais dos kaijus, storyboards, páginas de roteiro e muito mais. 
Um dos exemplos mais recentes e interessantes é BACK TO THE FUTURE - THE ULTIMATE VISUAL HISTORY, que comemora os 30 anos de De Volta Para o Futuro com um livro repleto de itens colecionáveis, como o panfleto do relógio, a carta de Doc Brown para Marty escrita em 1888, um poster de Tubarão 19, a foto de Doc e Marty com o relógio, uma foto da família de Marty com efeito lenticular (para eles "desaparecerem"!), entre outros! Esse até eu quero!


Livros com itens destacáveis não se limitam aos assuntos nerd... S - O NAVIO DE TESEU é um interessante projeto de Doug Dorst e J.J. Abrams (o cineasta mais nerd da atualidade), onde o leitor tenta desvendar a história do livro, supostamente escrito pelo fictício M.Straka. O livro é recheado de anotações de dois leitores, Eric e Jen, que "discutem" por meio de anotações nas páginas, além de pistas e objetos dentro da obra, como cartões, fotos, desenhos e até um mapa desenhado num guardanapo.
Existem muitos outros livros do gênero, mas agora vou falar sobre os dois que eu tenho, claro...Um é TEENAGE MUTANT NINJA TURTLES - THE ULTIMATE VISUAL HISTORY, lançado em comemoração dos 30 anos das Tartarugas Ninja, na época do lançamento do filme de 2014. Além de toda a história da franquia que se tornou um fenômeno, o livro traz páginas de roteiro, cartões de visita, material de divulgação, storybards, sketches, cartas, um pôster e uma cópia da primeira edição da HQ original!



Outra edição que merece destaque é um dos últimos grandes lançamentos de 2016, A LIGA EXTRAORDINÁRIA - O DOSSIÊ NEGRO, a única edição da série principal que permanecia inédita no Brasil, em parte por causa de pendências legais com direitos autorias, mas principalmente pelo imenso trabalho de tradução que o material exigiu... Além da história principal, o material extra complementa a obra e exige muita atenção (e conhecimento de outras obras) do leitor. As páginas do tal dossiê do título vêm dentro da obra, e algumas páginas estão "lacradas". São textos, contos eróticos, contos ilustrados e até o roteiro de uma peça de teatro (em linguagem Shakespeareana!). No final da obra, temos algumas páginas em 3D e um envelope com diversos itens, como o óculos para ler as páginas em 3D, um marcador de página em forma de espada (para abrir o lacre já mencionado!), cartões postais, uma revistinha erótica (tipo catecismo), um pôster e um encarte de disco com instruções para baixar músicas compostas exclusivamente para o livro! Sensacional!

Isso foi só uma amostra, e infelizmente a maioria dos livros é importada, mas vocÊ acha fácil na internet. Para os nerds e colecionadores, é diversão garantida!

Por hoje é só! Até a próxima!

domingo, 2 de abril de 2017

A Origem de DARTH MAUL CYBORG


É um consenso entre os fãs de STAR WARS: Darth Maul é uma das únicas coisas boas do Episódio I, A Ameaça Fantasma. O personagem aparece pouco e quase não tem diálogos, mas foi tão marcante que se tornou um dos mais populares da franquia. Uma variante curiosa do personagem é o DARTH MAUL CYBORG, reproduzida em diversas mídias, como quadrinhos, desenhos (Star Wars Rebels) e figuras de ação.


O mais incrível é que o personagem aparentemente morre no final do Episódio I... Após Darth Maul matar Quin-Gon Jinn (Liam Neeson), Obi-Wan Kenobi (Ewan McGregor) derrota o Sith, cortando-o ao meio!


Entretanto, na revista Star Wars Visionaries 1, de Abril de 2005, (uma coletânea de 10 histórias curtas), temos a HQ Old Wounds, onde descobrimos que Darth Maul está vivo, agora com os chifres maiores e com a metade inferior do seu corpo tomada por um aparato cibernético. O vilão ataca a fazenda do tio de Luke Skywalker, que ainda é uma criança. Seu objetivo é atrair Obi-Wan, em busca de vingança. O Jedi de fato aparece, e o confronto é inevitável.

Embora curta, a história tem um combate empolgante. Infelizmente, permanece inédita no Brasil. Na minha opinião, o maior mérito da HQ é ter originado diversas figuras e estatuas do personagem, incluindo uma peça espetacular da Sideshow, cujo sabre de luz brilha de verdade!



O destaque dado a esta versão do personagem é um atestado do quanto ele foi marcante no Episódio I; tanto que ele marca presença na recente animação Star Wars Rebels. Não chega aos pés de Darth Vader, mas que eu queria uma estátua dele, ah, com certeza eu queria!

Por hoje é só! Até a próxima!